Lourdes e o 69º milagre

Bispo de Pavia assina decreto que declara oficialmente a cura “prodigiosa” de uma mulher
Roma,  23 de Julho de 2013  (Zenit.org)  Redação

O presidente do Comitê Médico deLourdes, dr. Alessandro De Franciscis, anunciou que o bispo da diocese italiana de Pavia, dom Giovanni Giudici, reconheceu como “milagrosa” a cura da sra. Danila Castelli, moradora da cidade de Bereguardo. É a 69ª cura reconhecida oficialmente por um bispo católico como “milagrosa”, ou seja, “cientificamente inexplicável”.

Nascida em janeiro de 1946, Danila Castelli começou a sofrer de hipertensão aos 34 anos, mas os exames médicos não conseguiram encontrar a causa.

Em 1982, uma série de raios-X e ecografias revelaram uma massa para-uterina e um útero fibromatoso. A conselho do marido, médico de origem iraniana, ela retirou os ovários e o útero. Em novembro do mesmo ano, Danila foi submetida a uma remoção parcial do pâncreas.

O sofrimento da mulher continuou no ano seguinte, quando, em novembro, novos exames revelaram a presença de um tumor que provocava catecolaminas na região retal, na bexiga e na vagina. Os novos procedimentos cirúrgicos não conseguiram melhorar as suas condições.

Em maio de 1989, Danila fez uma peregrinação a Lourdes junto com o marido, pensando que seria a última viagem da sua vida.

Ao sair das piscinas do santuário, ela percebeu uma sensação extraordinária de bem-estar. O próprio marido, que estava esperando a sua vez, notou que ela estava melhor. Depois disso, Danila não voltou a apresentar crises graves de hipertensão e pôde interromper todos os tratamentos, recuperando-se completamente.

Danila se apresentou várias vezes ao Comitê Médico de Lourdes para testemunhar a sua cura. Em setembro de 2010, o Bureau des Constatations Médicales de Lourdes confirmou definitivamente e por unanimidade de votos a sua recuperação, com apenas uma abstenção, e divulgou a seguinte declaração: “A sra. Danila Castelli está curada de modo completo e duradouro desde a data de sua peregrinação a Lourdes em 1989, ou seja, há 21 anos, da síndrome da qual sofria, sem que haja qualquer relação entre a cura e as intervenções e tratamentos realizados”. Desde então, acrescentou o dr. De Franciscis, “ela vem levando uma vida completamente normal”.

Em sua reunião de 19 de novembro de 2011, em Paris, o Comitê Médico Internacional de Lourdes certificou que “esta recuperação continua inexplicada no atual estágio do conhecimento científico”.

Em fevereiro de 2012, o então bispo de Tarbes-Lourdes, dom Jacques Perrier, enviou o seu relatório ao bispo de Pavia, a diocese em que vive Danila Castelli.

O decreto, assinado recentemente por mons. Giovanni Giudici, proclama o caráter “prodigioso-milagroso” e “simbólico” da cura, semelhante aos sinais realizados por Jesus no evangelho.

“Esse decreto é uma grande oportunidade para reencontrar o frescor da alegria de viver com o Senhor. É a reproposição de um caminho, e acontece, como sempre, no momento perfeito, porque perfeitos são os tempos de Deus”, declarou Danila Castelli ao informativo semanal Il Ticino, da diocese de Pavia.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda