Sofrimento é realidade que Jesus ensina a viver

Sábado, 17 de maio de 2014, Da redação, com Rádio Vaticano

Francisco explica que o sofrimento não é um valor em si mesmo mas uma realidade que Jesus ensina a viver com a atitude justa, com confiança e esperança

O Papa Francisco concluiu sua série de audiências, na manhã deste sábado, recebendo, na Sala Paulo VI, no Vaticano, cerca de cinco mil peregrinos das Associações fundadas pelo beato Luigi Novarese, entre os quais 350 em cadeiras de roda.

O encontro com o Papa se realiza, precisamente, após um ano da beatificação de Luigi Novarese, sacerdote nascido, em 1914, na diocese de Alessandria, Itália, e falecido, em 1984, em Rocca Priora, nas imediações de Roma. Este ano ocorre o Centenário de nascimento de Novarese, definido por João Paulo II, “apóstolo dos enfermos”.

No discurso que entregou aos numerosos presentes, o Santo Padre apresentou o Beato fundador como “um sacerdote apaixonado por Cristo e pela Igreja e um zeloso apóstolo dos enfermos”.

Sua experiência pessoal de sofrimento, quando foi acometido por uma tuberculose óssea na infância, tornou-o sensível à dor humana, a ponto de fundar duas Associações: os Operários Silenciosos da Cruz e o Centro de Voluntários do Sofrimento.

A seguir, o Pontífice recordou a bem-aventurança “Felizes os que choram, porque serão consolados”, referindo-se à condição da vida terrena: o sofrimento humano. Jesus também passou pelas aflições morais e físicas e as humilhações, assumindo os sofrimentos na sua carne, como a fome, o cansaço, as amarguras, as traições, o abandono, a flagelação, a crucificação.

Porém, ponderou o Papa, ao afirmar que são bem-aventurados os que choram, Jesus não declara feliz uma condição desfavorável da vida. O sofrimento não é um valor em si mesmo mas uma realidade que Jesus ensina a viver com a atitude justa, com confiança e esperança, colocando o amor de Deus e do próximo também no sofrimento.

Precisamente isto, quis ensinar o Beato Luigi Novarese, que orientou os enfermos e os portadores de deficiências a dar o devido valor ao sofrimento, assumindo-o com fé e amor.

Uma pessoa doente, explicou Francisco, pode ser apoio e luz para outros sofredores. Por isso, exortou os peregrinos a manterem o carisma de seu fundador, beato Luigi Novarese, como dom para a Igreja, sendo solidários com as pessoas sofredoras nas paróquias, como testemunhas de Cristo ressuscitado.

Assim, concluiu o Papa, “vocês poderão enriquecer e colaborar com a missão evangelizadora da Igreja”.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda