Moralidade da masturbação para exame de espermograma

MORALIDADE DA MASTURBAÇÃO para exame de espermograma

(sêmen colhido por masturbação que é analisado ao microscópio para avaliação dos espermatozóides. Os dados mais importantes são: número de espermatozóides, aspecto e mobilidade dos mesmos)

É a chamada questão do duplo efeito:

-um efeito indesejável e inevitável;

-eu não busco deliberadamente um ato masturbatório, mas é inevitável e indesejável;

-não se chamaria de um mal menor, porque o mal jamais pode ser um objeto de escolha na moral cristã;

-do ponto de vista médico-científico, a pessoa vai seguir a orientação médica, para evitar até a esterilização (a Igreja não aprova a esterilização, porque se fecha à vida);

-popularmente se diz: se correr o bicho pega e se ficar o bicho come. Deve-se usar o bom senso, sem aprovar a masturbação;

-o Catecismo da Igreja Católica, nº 2352 ensina que são 4 atenuantes para considerar-se a masturbação

1) a imaturidade afetiva

2) a força dos hábitos contraídos

3) o estado de angústia

4) outros fatores psíquicos ou sociais que minoram ou deixam mesmo extremamente atenuada a culpabilidade moral.

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda