É certo ficar em pé durante a consagração da Eucaristia?

É CERTO FICAR EM PÉ DURANTE A CONSAGRAÇÃO DA EUCARISTIA?

Vejamos o que nos diz o Catecismo da Igreja Católica:

Citação 1377 – “A presença eucarística de Cristo começa no momento da consagração e dura também enquanto subsistirem as espécies eucarísticas. Cristo está presente inteiro em cada uma das espécies e inteiro em cada uma das partes delas, de maneira que a fração do pão não divide o Cristo”.

Citação 1378 – “O culto da Eucaristia. Na liturgia da missa, exprimimos a nossa fé na presença real de Cristo sob as espécies do pão e do vinho, entre outras coisas, dobrando os joelhos, ou inclinando-nos profundamente em sinal de adoração do Senhor. A Igreja Católica professou e professa este culto de adoração que é devido ao sacramento da Eucaristia não somente durante a Missa, mas também fora da celebração dela, conservando com o máximo cuidado as hóstias consagradas, expondo-as aos fiéis para que as venerem com solenidade, (Adoração ao Santíssimo Sacramento exposto no altar) levando-as em procissão”.

Citação 1381 – “A presença do verdadeiro Corpo de Cristo e do verdadeiro Sangue de Cristo neste sacramento ‘não se pode descobrir só pelos sentidos’, diz Santo Tomás, ‘mas sim só com fé, baseada na autoridade de Deus’. Por isso, comentando o texto de São Lucas 22, 19 (‘Isto é o meu Corpo que será entregue por vós’), São Cirilo declara: ‘Não ponhas em dúvida se é ou não verdade, aceita com fé as palavras do Senhor, porque Ele, que é a verdade, não mente’”.

Citação 1413 – “Através da consagração opera-se a transubstanciação do pão e do vinho no Corpo e no Sangue de Cristo. Sob as espécies consagradas do pão e do vinho, Cristo mesmo, vivo, glorioso, está presente de maneira verdadeira, real e substancial, seu Corpo e seu Sangue, com sua alma e sua divindade”.

Poderíamos colocar aqui muitas outras citações bíblicas e do Catecismo da Igreja Católica que sabiamente definem como devem se comportar os fiéis na celebração Eucarística e especialmente no momento ápice da nossa fé: A Consagração. No entanto, o que citamos nos é suficiente para entendermos que de fato devemos sim nos ajoelhar no momento da consagração e em profunda adoração reconhecer e venerar Cristo que se faz presente a partir da Consagração na forma de pão.

Liturgicamente devemos nos ajoelhar logo após a oração do Santo “Santo, Santo, Santo, Senhor, Deus do universo! O céu e a terra proclamam a vossa glória. Hosana nas alturas! Bendito o que vem em nome do Senhor! Hosana nas alturas!” e no momento em que o sacerdote levanta a hóstia consagrada devemos sim adorar o Senhor, olhando-O com veneração e profundo silêncio interior e assim também quando o sacerdote levanta o cálice com o Sangue de Cristo.

São Leão Magno (400-461), Papa e doutor da Igreja disse: “Assim, pois, para dar-te uma resposta, antes da consagração não era o corpo de Cristo, mas após a consagração, posso afirmar-te que já é o Corpo de Cristo”.

Um detalhe interessante a ser observado pela Assembléia é o anúncio, pelo celebrante, de “Tudo isto é Mistério da Fé!”, proferido logo após a narrativa da Instituição da Eucaristia; nesse momento todos os que se ajoelharam deverão ficar de pé e recitar de alto e bom som a seguinte citação: Toda vez que se come deste pão, toda vez que se bebe deste vinho, se recorda a paixão de Jesus Cristo e se fica esperando a sua volta.

Mas o que é ajoelhar-se:

De início, o cristão ajoelhava-se somente nas orações particulares. Depois toda a comunidade passou a ajoelhar-se em tempo de penitência. Agora essa posição é comum diante do Santíssimo Sacramento e durante a consagração do pão e do vinho. Ajoelhar-se perante alguém era sinal de homenagem a um soberano. Hoje significa adoração a Deus.

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda