Quem chega atrasado na missa não pode comungar?

Mons. Inácio José Schuster

É necessário crescer na consciência da importância da participação na missa e da recepção da Eucaristia.
Primeiramente vamos puxar pela memória e relembrar o que a Igreja ensina sobre a participação dos fiéis na missa e a recepção da Eucaristia. Está lá no número 1.389 do Catecismo da Igreja Católica. A participação é obrigatória aos domingos e nos dias festivos. E a recepção da Eucaristia é obrigatória pelo menos uma vez ao ano, se possível no tempo pascal, devidamente preparada pelo sacramento da reconciliação.

A Igreja, determinando esta obrigatoriedade, quer, na verdade, salvar o mínimo de prática religiosa. Mas, convenhamos, é muito pouco, não é mesmo? Limitar-se ao que a Igreja exige é viver a fé de modo legalista, frio, sem aquele amor-resposta ao amor que Deus tem por nós e que tem sua expressão máxima no mistério da encarnação, paixão, morte e ressurreição de Jesus. Por isso, como mãe e mestra a Igreja vai mais longe. Ela recomenda vivamente aos fiéis “que recebam a santa Eucaristia nos domingos e dias festivos, ou ainda com maior freqüência, e até todos os dias”.
Muito se poderia escrever aqui sobre as condições para se receber a Eucaristia (estado de graça, jejum de uma hora antes de comungar, etc.).

Lembremos que a comunhão do Pão da Palavra prepara a comunhão do Pão Eucarístico e a celebração eucarística é um todo bem integrado, em que uma parte prepara a outra, com as devidas disposições interiores.
Procurar não chegar atrasado e nem em cima da hora. Eu preciso entender o que é realmente a Missa. Saber que é o encontro dos irmãos e irmãs de Batismo e Fé. A Comunidade Cristã está reunida para Celebrar juntos os Mistérios de Jesus Cristo. Na Missa eu me abasteço com a Palavra e a Eucaristia partilhadas.
Chegando calmo na igreja já é grande coisa. Depois eu não posso deixar de ir na Missa só porque chegou gente em casa, ou porque estou muito cansado e até porque não estou com vontade! Aí é injustiça, pois, será que Deus algum dia ficou cansado e sem vontade de ajudar a minha vida? Eu preciso ter consciência de como é importante para mim a Missa. Alguém dizia: Um Domingo sem Missa é uma Semana sem a Graça!

É preciso também passar pelo Tabernáculo. Diante do Sacrário faço meu encontro com Deus e peço o Espírito Santo para aproveitar ao máximo daquele encontro celebrativo.
Também entra a questão do lugar que ocupo na igreja. Se faço opção de ficar em pé, encostado numa parede lateral, meio largado no fundo da Igreja, olhando mais para portas e janelas do que para o Altar como é que vou prender minha atenção, me envolver com o Rito e deixar uma Ação de Deus acontecer na minha vida? As pessoas que ocupam um lugar de atenção e se deixam envolver pelo clima e pelo espírito da Missa nunca observam nem o tempo passar, mas eu preciso querer e me ajudar. Os meus sentidos precisam estar ali naquela Casa de Deus e da Família Cristã!
Não devo ficar preocupado se alguém está reparando em mim ou olhando para mim. Devo voltar minha atenção para o Altar e ouvir o Sacerdote presidente. Acreditando que as pessoas ali também querem sair diferentes e estão precisando de Deus assim como eu.
Dentro da Missa eu preciso participar. Uma palavra essencial. Muitas pessoas não pegam nem o folheto ou o livro de canto e algumas quando pegam não procuram cantar. Cantar é participar. Quem canta bem eleva o espírito até Deus e reza duas vezes.
O mesmo são as respostas da Missa. Eu preciso abrir a boca e responder em voz alta e em bom tom o Ritual da Missa. Estou rezando, e cada resposta tem um sentido muito profundo.
Também as leituras, salmo e Evangelho não podem ser acompanhados e ouvidos de qualquer jeito. Tem pessoas que dentro da igreja perdem o olhar e se distraem por qualquer coisa. Um ventinho, uma criancinha, um folheto no chão já é motivo para se distrair e desprender a atenção. Nós precisamos ser mais compenetrados naquilo que estamos fazendo, principalmente dentro da igreja na hora da Missa.

Aqueles que podem fazer sua Comunhão Eucarística a façam com calma, com bom aproveitamento e bem mergulhados naquele momento. Aqueles que não podem façam Comunhão Espiritual, tendo esse contato íntimo com Jesus Cristo.
Agora não é motivo nem aqui nem na China dizer que não vai a Missa porque não pode comungar, isso é um tanto ridículo, uma desculpa esfarrapada que não cola, uma “muleta” ultrapassada – é bom arranjar outra. Também tem aqueles que nutrem complexos e saem aí por dizer: “A missa demora muito” – “Não tenho roupa” – “Trabalho muito” – “As crianças não param quietas” – “Não gosto do padre”, etc e tantas outras que só Deus sabe! Nós precisamos criar juízo, buscar Deus enquanto é tempo e andar na verdade.
Depois voltemos para a casa, pois, começa a nossa Missão. Aliás, a palavra Missa vem daí – Missa – Missão. Saibamos viver e saborear a Missa e participar quantas vezes eu puder.

MISSA: QUANDO COMEÇA E QUANDO TERMINA? PORQUE TANTA PRESSA?

A maioria das pessoas chega a Igreja para a missa, quase sempre na última hora ou em cima da hora ou faltando uns minutinhos ou passando uns minutinhos.

Por Mons. Inácio José Schuster

Mas quantos chegam, pelo menos alguns minutos, antes de começar?
A missa, na verdade, começa quando ainda em casa eu decido que vou para a Igreja e esta preparação continua quando chego 10 ou 15 minutos antes de começar para me colocar em estado de oração, fazer um exame de consciência, oferecer a missa, pedir ao Espírito Santo que me assista, pedir ao Anjo da Guarda que me acompanhe, invocar os anjos e santos, pedir a intercessão da Virgem Maria, pedir a libertação das almas do purgatório e tantas e tantas coisas que podemos pedir e agradecer e ainda, rezar pelos pecadores, pela Igreja, pelo Papa, pelos Bispos e pelos Sacerdotes e Seminaristas, além dos pedidos pela família e dos pedidos particulares, cujas graças vamos suplicar.

Depois de iniciada a missa é muito difícil e não há tempo para isso porque temos que participar e ficar atentos para que juntos com o sacerdote a nossa missa tenha uma maior eficácia, ou seja, para que mais e maiores graças alcancemos do Céu.
É exatamente essa eficácia da missa que faz a diferença quando constatamos o quanto nós progredimos espiritualmente durante a nossa vida e a cada retrospectiva que fazemos ao final de cada ano quando temos que avaliar a nossa jornada neste mundo à luz da fé, do evangelho e das leis de Deus e da Igreja.
Nós não admitimos chegar atrasados ao cinema, a um show, a uma festa, a um jogo de futebol, mas constantemente nos atrasamos para a missa, sem nos darmos conta de que é DEUS que nos aguarda, é JESUS que nos está esperando, é o Céu que pede a nossa presença para louvar e adorar, suplicar e levar a nossa oferta, enfim é ali que vai se desenrolar o mais espetacular, o mais fantástico, o mais extraordinário e o maior milagre da face da terra, ou seja, ali vai acontecer a transubstanciação do pão e do vinho, no CORPO e no SANGUE de JESUS CRISTO.
Não se trata de simples representação como dizem os protestantes, mas se trata da PRESENÇA REAL DE JESUS NA EUCARISTIA. Por isso, conscientizados do verdadeiro valor da missa, passemos a atribuir-lhe o devido respeito e consideração.
Um Padre de nossa Diocese, certo dia quando ainda abençoava os fiéis ao final da missa e vendo que muitos já tinham ido e outros saíam como que correndo da Igreja ainda quase gritando disse: “Que Deus vos abençoe e duvido que o Senhor vos alcance”. Claro que isso foi como que uma brincadeira do Padre, mas ao mesmo tempo ele estava preocupado com essas pessoas que não recebem a bênção final da missa, que é muito importante e por isso deveria ser recebida de joelhos.
Essa pressa das pessoas denota uma certa impaciência com as coisas de Deus, porque normalmente são essas mesmas pessoas que sempre reclamam que a missa que leva uma hora é muito demorada, que o Padre fala demais, que a missa foi chata, mas que nunca reclamam de ficar horas vendo novelas, um filme ou um jogo de futebol, ou seja têm todo o tempo do mundo para as coisas fúteis e não tem uma horinha por semana para Deus.
Por tudo isto vale a pena chegar pelo menos 5 ou 10 minutos antes de começar e também cuidar para não sair correndo ao final da missa, ou até mesmo antes da bênção final e sim permanecer mais um ou dois minutos para a AÇÃO DE GRAÇAS e fazer um pouco de companhia a JESUS que ficará sozinho quando todos forem embora.
Aliás, a visita ao SACRÁRIO deveria ser um hábito nosso e fazê-lo regularmente, senão diariamente e assim escutar JESUS no silêncio.
JESUS tem muita coisa a nos dizer a nos inspirar. Temos que abrir a porta do nosso coração, temos que permitir que ELE possa adentrar e ali fazer morada. “Eis que estou a porta e bato”, disse Jesus.
Mas, se você não costuma ir à missa, você não deve estar entendendo nada e não sabe o que está perdendo, aliás um casal amigo, atualmente costuma não perder nem um dia a santa missa para recuperar as missas que deixaram de participar quando não entendiam o seu INFINITO VALOR.
Informe-se sobre a missa e como melhor participar e então obter as graças pedidas.
Trata-se de maior ou menor sintonia com o Céu.

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda