Reunião Pais Catequizandos Eucaristia e Crisma (1ª e 2ª etapas)

Inicia: 20 de março de 2019 em 20:00
Termina: 20 de março de 2019 em 21:30

Formação Familiar
20/3 -Reunião pais catequizandos Eucaristia e Crisma, 20h-21h30min – Pe. Diego Soares
22/5 -Reunião pais catequizandos Eucaristia e Crisma, 20h-21h30min – Psicólogo Giovani Meinhardt
07/8 -Reunião pais catequizandos Eucaristia e Crisma, 20h-21h30min (Semana Paroquial da Família, Terço Familiar)
29/8 -Reunião pais catequizandos Eucaristia e Crisma (somente 2ª etapas, para preparar a Eucaristia e Crisma), 19h30min-20h30min
28/9 -Encontrão dos crismandos, 8h-18h, igreja Matriz
02/10 -Reunião pais catequizandos Eucaristia e Crisma, 20h-21h30min
13/10 -Ensaio com os neo-comungantes, 15h-17h, igreja Matriz
20/10 -Santa Eucaristia das crianças, 9h, igreja Matriz
03/11 -Crisma dos jovens, 9h, igreja Matriz

 

“Porque tenho que estar num lugar onde meus pais não querem estar comigo? Para os meus pais não tem sentido e nem importância vir à Missa… por que para mim deveria ter? E depois é a maior mentira e engano vir no final da Missa para pegar o carimbo e o santinho, porque lá em casa ninguém quer saber de igreja… venho obrigada(o) e só porque vou ter uma festa, não vale a pena. Meus pais podem fazer festas quando eles querem… eles têm bastante dinheiro, compram tudo o que eu quero e ninguém tem nada que ver com isso”.
Testemunho de vinte e sete catequizandos da Paróquia Nossa Senhora da Piedade às suas Catequistas durante a semana. E as filmagens de nossas câmeras (durante um mês) comprovam o “amor” dos pais que trazem seus filhos nos últimos minutos da Missa.

Pais que inscrevem os filhos na catequese devem ter consciência da importância deste momento na vida deles. Mas para isso, não basta somente inscrevê-lo para que o catequista faça o milagre da conversão ou para dar mais uma ocupação ao filho. É preciso participar e se envolver junto.
Se for sem a presença dos pais, a catequese tem uma grande chance de se tornar apenas um momento comum, “tradicional”, da vida de centenas de crianças e adolescentes. Afinal de contas, o que os pais querem para seus filhos quando os inscrevem na catequese?
Os pais não podem mais incorrer no erro de simplesmente dizer: “você irá fazer a catequese porque o pai e a mãe fizeram, todo mundo fez e pronto”. Isso gera revolta, descontentamento e não ajuda em nada no processo de evangelização. Não imponha nada. Ninguém gosta de fazer algo forçado, muito menos crianças e jovens adolescentes.
Alguns pais inscrevem o filho e só vão saber que ele está lá no dia na celebração final. Uma vez inscritos, os filhos precisam do devido acompanhamento. Procure saber do encontro e mostre interesse pelos assuntos abordados.
Saiba quem é o catequista e converse com ele frequentemente. Tanto o filho quanto o catequista se sentirão valorizados e motivados com este tipo de atitude. LEVE E ACOMPANHE SEU FILHO A PARTICIPAR DA MISSA INTEIRA (do sinal da cruz até a bênção final). É fundamental que, todos os domingos (e/ou sábados), a família frequente junto uma celebração. Os pais precisam participar da vida religiosa de seus filhos e a Missa é um forte momento de encontro comunitário.
Jovens e crianças precisam ser incentivados e o exemplo precisa vir de casa. Não sobrecarregue seus filhos com inúmeros compromissos. Dê a eles a oportunidade de curtir um pouco a idade em que estão. Lembre-se que a catequese não é apenas um momento “tradicional” de quem não tem o que fazer, mas, sim, um instante de formação e crescimento. Não estimule seu filho a faltar qualquer encontro ou Missa por um compromisso fútil. Uma vez por semana não é demais.
Infelizmente alguns pais procedem de maneira errada, ou seja, parecem estar sempre a desanimar seus filhos para as coisas de Deus e depois culpam o padre, a Igreja, a catequese e o catequista. Reze com seu filho, pode ser uma oração simples, rápida. Pare um momento do dia e faça uma prece, mesmo que em agradecimento pelo dia, por ter saúde…
Será um instante de conhecimento, de proximidade, educação e de meditação, que não irá lhe custar muito tempo. Ele irá se estimular a rezar também. Participe das atividades da catequese. O calendário das paróquias prevê poucas atividades durante o ano que reúna os pais. Mesmo assim, alguns não participam de nenhuma delas e ainda arrastam os filhos para seus passeios e viagens.
Além de não participarem, reclamam de tudo, como se a catequese fosse um estorvo sem tamanho. Com isso, influenciam os filhos a não frequentarem os eventos programados durante o ano. Catequese sem a participação dos pais é quase impossível e não pode ser feita. E quando os pais, além de não colaborarem, ainda puxam para o outro lado, em outras igrejas e seitas, a tarefa fica ainda mais complicada. Se não querem colaborar, pelo menos, não atrapalhem. Por último, tenha consciência de que foi você quem procurou a Igreja para inscrever o seu filho na catequese e não a Igreja quem lhe procurou.
Por essa razão é preciso entender que na catequese, assim como na escola, no trabalho e até mesmo em casa, também tem regras que precisam ser cumpridas para que ela tenha êxito. Lembre-se, mais uma vez: catequistas não são milagreiros. Sem a ajuda dos pais, a catequese não tem efeito.

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda