Por que o Natal é comemorado no dia 25 de Dezembro?

http://pastoralfamiliarapodi.blogspot.com/2008/12/por-que-o-natal-comemorado-no-dia-25-de_8885.html

Jesus não nasceu no dia 25/12. A Bíblia não cita o dia em que Jesus nasceu, mas uma coisa é certa, há poucas possibilidades de ter sido nesta data, pois, na noite em que nasceu, conforme Lucas 2, 8, que “havia pastores no campo que velavam e guardavam seus rebanhos durante a vigília da noite”, isto quer dizer que não era inverno na Palestina. Seria muito difícil para Maria grávida viajar durante esta época de muito frio. Muito provavelmente seria outono (setembro/outubro) ou primavera (abril/maio).

Existem registros que indicam que nos primeiros tempos da era cristã esta data era comemorada entre 25/3 e 20/4. Contudo, existem algumas versões para explicar a comemoração nesta data. Antigamente, o tempo era orientado pela lua e ciclos agrícolas. Com isso, o solstício do inverno (dia mais curto no hemisfério norte – 21/12) tinha certo grau de importância. Em diferentes culturas pagãs estas passagens dos solstícios eram comemoradas com festas e associadas ao deus do sol. Com base na adoração destes deuses era comemorado o dia “Sol Invictus”. Foi o imperador romano Aureliano, em 274 a.C., que definiu o dia 25 de dezembro.

Como – O Dia do Nascimento do Sol Inconquistável em homenagem ao deus do povo greco-romano – Apolo. Ainda 400 anos mais tarde, na época do imperador romano Constantino esta festa era muito popular e celebrada. A fixação oficial desta data como nascimento de Jesus foi determinada pelo papa da época Júlio I no ano de 350 d.C. com o propósito de substituir esta festa do deus sol, pelo nascimento de Jesus o verdadeiro Sol da Justiça. O primeiro calendário de que se tem notícia que marca essa data é o de Filocalos no ano de 354 d.C. Como disse o sábio Angelus Silesius: “Ainda que Cristo nascesse mil vezes em Belém, se não nasce dentro de ti, sua alma segue extraviada”.

Por Samuel Scheffler

 

O porquê do Natal ser comemorado no dia 25 de dezembro

Natalis solis invicti: com este nome, o Imperador de Roma, Aureliano oficializava a tradicional comemoração do sol nascente e invencível. Todos os anos, no dia 25 de dezembro, sucedia algo de muito curioso… Devido à inclinação natural do planeta, no hemisfério norte transcorria o dia mais curto e, consequentemente, a noite mais prolongada do ano. O paganismo dos romanos atribuía a esse fato o significado de ser uma ameaça dos deuses, pois notavam, ao longo das estações, a progressiva diminuição das horas solares, até chegar no clímax que se dava nessa ocasião. Amedrontados, ofertavam-lhes desagravos e, por meio de prolongados rituais e celebrações, julgavam atrair o beneplácito dos deuses, evitando assim o desaparecimento da luz.

Com o advento do Cristianismo, os romanos recém-convertidos guardavam saudades das festas realizadas por ocasião do Natalis Solis Invicti. Por esta razão, a Santa Igreja encontrou um sapiencial meio de direcionar para o bem essa arraigada tradição: comemorar, nesse mesmo dia, o nascimento do “Sol da Justiça que traz a salvação em seus raios” (Ml 3, 20). E apoiada em passagens da Sagrada Escritura, nas quais o Messias é apresentado como a “Luz para iluminar as nações” (Lc 2, 32) (cf. Jo 1, 9), empreendeu a cristianização desse velho costume pagão. Um antiquíssimo mosaico do século III, encontrado na cripta vaticana e conhecido como o Mausoléu dos Iulii, conjuga grandiosamente as imagens de Cristo e do Sol, sobre uma carruagem triunfante.

Com base nisto, atribui-se ao Imperador Constantino, construtor da Basílica Vaticana, ser um dos primeiros a instituir, nessa data, a celebração do Natal. O primeiro calendário a constatar esse fato foi editado por um personagem conhecido como Filocalos (354). Contudo, a declaração oficial da Santa Igreja foi proferida pelo Papa Júlio I (337-352).

Como ensina a Doutrina Católica, as festas do ano litúrgico nos fazem participar das mesmas graças dispensadas por Deus no próprio episódio comemorado. Tendo, pois, a Cátedra infalível de Pedro ligado essa determinação na terra, foi ligada também no Céu (cf. Mt 16, 19), atraindo desta maneira bênçãos copiosíssimas para o dia 25 de Dezembro, Natal do Senhor!

Sebastián Correa Velásquez  
Fonte: http://www.gaudiumpress.org/view/show/22352

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda