A verdadeira fé faz milagres, não negócios

Sexta-feira, 29 de maio de 2015, Da Redação, com Rádio Vaticano

Na homilia, Papa falou da força da fé, que é capaz de realizar milagres; ele destacou que é preciso estar atento para não cair em uma religiosidade mercantil

A homilia do Papa Francisco, nesta sexta-feira, 29, foi dedicada ao poder da fé. O Santo Padre explicou que a fé autêntica faz milagres; é preciso pedir ajuda a Deus para não cair em uma religiosidade egoísta e mercantil.

O Evangelho do dia apresenta três imagens simbólicas: a figueira que não dá frutos, os negociantes no templo e o homem de fé. A partir dessas imagens, Francisco mencionou três modos de viver.

“A figueira representa a esterilidade, ou seja, uma vida estéril, incapaz de dar qualquer coisa. Uma vida que não frutifica, incapaz de fazer o bem”, afirmou o Papa, explicando que ela representa a pessoa que nada faz para ajudar, vive sempre para si mesma.

“No fim, essas pessoas se tornam neuróticas, todas elas! Jesus condena a esterilidade espiritual, o egoísmo espiritual. ‘Eu vivo para mim, que a mim nada falte e os outros que se virem!’”.

Negociadores da religião

O outro modo de viver é o daqueles exploradores, dos negociantes no templo. O Papa explicou que esses exploram até mesmo o lugar sagrado de Deus para fazer negócios: trocam moedas, vendem os animais para os sacrifícios, têm até um sindicato para defendê-los. Isso não somente era tolerado, mas permitido pelos sacerdotes do templo. “São aqueles que fazem da religião um negócio”.

Na Bíblia, recordou Francisco, está a história dos filhos de um sacerdote que obrigavam as pessoas a darem ofertas e ganhavam em cima disso, também dos pobres. E Jesus não economiza nas palavras: “A minha casa será chamada casa de oração. Vocês, ao contrário, fizeram dela um covil de ladrões”.

“O povo peregrinava ao templo para pedir a bênção do Senhor, fazia um sacrifício: e lá, aquelas pessoas eram exploradas! Os sacerdotes não os ensinavam a rezar, não ministravam catequese… Era um covil de ladrões. Paguem, entrem… Realizavam os rituais vazios, sem piedade. Não sei se nos fará bem pensar se conosco acontece algo do gênero em qualquer lugar. Não sei? Usar as coisas de Deus para o lucro próprio”.

Vida de Fé

O terceiro modo de viver é “a vida de fé”, caminho indicado por Jesus: “’Tenham fé em Deus. Se alguém disser a esta montanha: ergue-te e lança-te ao mar, e não duvidar no coração, mas crer que o que diz se realiza, assim lhe acontecerá’.

“É o estilo de vida da fé. ‘Pai, o que devo fazer para isso?’; ‘Mas peça-o ao Senhor, que te ajude a realizar coisas boas, mas com fé. Somente uma condição: quando vocês rezarem pedindo isso, se vocês tiverem algo contra alguém, perdoem. É a única condição, para que também o vosso Pai que está nos céus vos perdoe as vossas ofensas’. Este é o terceiro estilo de vida. A fé, a fé para ajudar os demais, para se aproximar de Deus. Esta fé faz milagres”.

O Santo Padre concluiu a homilia com uma oração: “Peçamos hoje ao Senhor que nos ensine este estilo de vida de fé e que nos ajude a não cair jamais – nós, a cada um de nós, e a Igreja – na esterilidade e no mercantilismo”.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda