Ser Família é uma Bênção de Deus, mas também é uma luta

Por Pe. Inácio José Schuster

Um auxílio contra nós

Que bom estarmos aqui e termos este tempo para ouvir a Palavra de Deus. Porque ela não somente explica, mas revela; ela faz. Então quando a gente pronuncia a Palavra de Deus nas nossas famílias, ela está fazendo, e refazendo todas as coisas. Que Deus nos dê o conhecimento daquilo que ele sonhou para a família. Existe uma concepção de que a família é uma instituição humana, ou seja, criada pelo homem. E, portanto o homem tem o direito de modificá-la, de mudá-la como quiser. Faz algum tempo que alguns pensadores estão incutindo essa mentalidade na sociedade.

Parece que o casamento é uma instituição burguesa, onde a gente se junta, arruma um companheiro, mas estamos abertos a outros relacionamentos. Isso pode soar um pouco estranho, pode não ser tão comum de você ver ou ouvir falar, mas é o que está acontecendo na nossa sociedade. E isso não está assim por acaso. Não é por acaso que vivemos essa “desagregação” da família. Existem verdadeiros “engenheiros” que trabalham para instaurar esta visão e família. E eles fazem isso porque partem do pressuposto de que a família é uma instituição humana. Vejam: o homem pretendendo tomar o lugar de Deus.

Para nós não é assim! Nós cremos que a família é criação Divina e não apenas invenção humana. E, portanto, nós, seres humanos, não temos o poder e o direito de alterar a configuração da família. Nós precisamos antes de tudo compreender o sonho de Deus para nós e obedecer aquilo que o Senhor nos pede. É de Deus que vem a família, que vem essa realidade que nós conhecemos, mas que está sendo atacada pela sociedade moderna. Este ataque contra a família não é apenas ataque humano, mas também demoníaco. Esses “engenheiros” que eu citei antes também são “inspirados” por satanás. Porque satanás sabe que a família é o berço da santidade. E ele não nos quer santos. Pelo contrário, ele nos quer mais egoístas, mais individualistas, porque ele sabe que é o nosso egoísmo que vai nos levar para o inferno.

Ser família é uma bênção de Deus, mas também é uma luta. Não pense que ser família é fácil, não é. Ela é a nossa escola de santidade, para que nós sejamos treinados para o céu, onde é nosso lugar. Nós, pecadores, precisamos da família para lembrar-nos do nosso egoísmo, porque na família somos constantemente desafiados a sair de nós mesmos para sermos uma família de verdade, para ser para os outros. A primeira palavra que eu gostaria de colocar está em Gênesis capítulo 2, onde Deus fala sobre dignidade do homem e da mulher. A partir do versículo 23 Adão vê a mulher pela primeira vez e então produz a primeira poesia da história da salvação: “Desta vez sim, é osso dos meus ossos, carne da minha carne. Ela será chamada humana, mulher, porque do homem foi tirada!”.

O homem foi incumbido de dar nome a todos os animais. E ele vai fazendo isso começa a falar, a dizer os nomes, e falando (interessante isso) ele se descobre sozinho necessitado de companhia. É quando falamos que descobrimos a nossa solidão. No versículo 18: “E o senhor Deus disse: não é bom que o homem esteja só. Vou fazer-lhe uma auxiliar que lhe corresponda”. Esta é a tradução da CNBB. Qualquer tradução que você procurar, este texto está mal traduzido. E por que isso? Porque o original, em hebraico, não dá para traduzir. Lá está escrito (ao pé da letra): “um auxílio que lhe seja contrário”. A mulher é uma ajuda ao homem, e vice versa. Ou seja, o homem e a mulher não são iguais (a não ser em dignidade). É importante que não nos deixemos iludir pela ideologia moderna que quer desconsiderar os gêneros diferentes entre homem e mulher.

O Feminismo quer que as mulheres pensem que são iguais aos homens, quando na verdade não são. E é essa falta de identidade que está atrapalhando tudo. Porque essa diferença vai santificando um e outro. É quando não compreendemos a profunda diferença que existe entre homem e mulher que começam os grandes problemas que nossas famílias enfrentam hoje. Não podemos querer que homens e mulheres sejam iguais. Porque eles foram criados diferentes por Deus. Deus quis assim! E não aceitar essa diferença é não aceitar o plano de Deus, é não respeitar aquilo que o Senhor pensou. Com isso não estou desprezando nem um, e nem outro. São diferentes, mas de igual dignidade: “Osso dos meus ossos, carne da minha carne!”. Gostaria de falar a respeito do comportamento da mulher e do homem. Existem vários estudos que mostram as diferenças entre os cérebros de um e de outro. Por exemplo, a questão da sexualidade, sexo.

Os cientistas não estão ainda de pleno acordo, mas sabem que existe uma diferença no hipotálamo de um e de outro. E no dia-a-dia nós notamos essa diferença. O sexo é muito mais importante para o homem do que para a mulher. E você homem, precisa entender isso. Precisa entender que para a sua esposa, o sexo não tem a mesma importância que tem para você. No matrimônio o homem deve ir se adaptando à sua esposa, e por sua vez, a esposa ao seu marido. Sempre existe um incômodo dentro de ambos, porque lá no fundo, um precisa sempre ir cedendo ao outro, para irem se adaptando. Os dois têm que ceder. Outro detalhe: a área do cérebro que lida com a organização das coisas, funciona melhor no homem do que na mulher. Já a parte do cérebro que lida com o comportamento, com o relacionamento com as pessoas, funciona melhor nas mulheres. Isso acontece porque os hormônios sexuais (diferentes entre os dois) vão influenciando no funcionamento do cérebro.

Quem tem filhos pode perceber isso, principalmente se tem filhos do sexo masculino e do sexo feminino. O comportamento de ambos é muito diferente. Por exemplo: quem ensinou para a menina que ela gosta de boneca? Isso não é só cultural. Se você der bonecos para o menino, ele vai organizar tudo, um atrás do outro, depois vai passar com o carrinho em cima deles. Provavelmente ele vai desmontar tudo, querer ver como funciona, etc. Isso porque o homem é melhor para organizar coisas. Já a menina não vai tratar a boneca como “coisa”, mas sim como pessoa. Ela vai olhar para a boneca e achar que ela está com frio, com fome, com sono, etc. De uma forma geral, o homem tem habilidade para lidar com coisas. Para eles isso é muito mais fácil do que administrar sentimentos, ou a relação com alguma pessoa. Por isso muitas vezes se o filho está dando trabalho, o homem pede para a mãe resolver. Porque a administração de pessoas funciona muito melhor para a mulher do que para o homem. Isto tudo é uma riqueza! Deus nos criou para que houvesse essa complementaridade. Isso é querido por Deus! Entenda isso, e veja como Deus vê!

Lá nos EUA, por exemplo, as feministas querem que as mulheres tenham a mesma “liberdade sexual” que os homens. – Aqui não estou defendendo nada, nem dizendo que está certo a liberdade sexual para o homem, estou apenas narrando o que acontece lá -. Elas querem que as mulheres possam fazer sexo sem compromisso, com uns e outros, sem envolvimento… mas, com o passar do tempo essas mulheres, apesar de não perceberem, vão se tornando vazias. Porque é da natureza da mulher querer o compromisso, querer esse envolvimento, esse comprometimento. Já com o homem não é assim. Se não existisse a mulher, os homens cedo ou tarde iriam tratar as pessoas como coisas. O homem é simples para resolver as coisas. Ele é prático, e com isso ajuda a mulher a ser mais objetiva. Essa é a riqueza do homem, essa objetividade que ele traz em seu ser.

Se você der algo para um homem fazer, ele vai lá e faz. Se for a mulher a ir lá e fazer, ela vai ficar “sapateando”, pensando “e se isso… e se aquilo… mas será que…” e de certo modo vai demorar bem mais para realizar. E essa objetividade do homem por vezes irrita a mulher. Essa praticidade parece agressão para elas. E por sua vez, quando as mulheres ficam dando muitas voltas, complicando as coisas, o homem se sente incomodado. Não estou dizendo que seja sempre assim. Existem mulheres muito práticas e boas administradoras, assim como existem homens que são bons psicólogos. O que eu estou dizendo é que em linhas gerais ambos são diferentes e funcionam de forma diferente. E se nós não nos dermos conta disso, vamos continuar nos machucando uns aos outros sem saber o que está acontecendo.

Os homens precisam mais das mulheres para não continuar pisando nos sentimentos das pessoas. E as mulheres precisam mais dos homens para serem mais objetivas e práticas nas coisas que fazem. Como homem eu preciso me dar conta de que as mulheres têm riquezas que eu não tenho, e também fragilidades que eu não tenho. Eu preciso ir aprendendo a me adaptar, aprendendo a lidar com essa diferença, deixando-me enriquecer com o que as mulheres podem contribuir.

Deus fez essas duas realidades, homem e mulher, de forma diferente e complementar. E se em nossas famílias não nos dermos conta disso, vamos continuar nos machucando e nos ferindo, e acabando com as nossas famílias. O movimento feminista mundial está dando passos hoje na direção do lesbianismo. Existe uma propaganda inteira em prol disso. “Amar a mulher enquanto mulher!”, “Procure alguém que seja igual a você!”, isso tudo é propaganda aberta em prol do lesbianismo.

Disseminam hoje por aí um pensamento de que não é preciso a mulher buscar um homem. Ora, para quê buscar um homem se ele é bruto, se ele vai machucar a mulher? Nossas meninas devem ser advertidas de que isso não está certo. Porque a grandeza está na diferença! Não estou defendendo a brutalidade do homem, estou apenas explicando as diferenças. Os homens também têm que mudar, e estão mudando, mas o que não dá é para a mulher de hoje ficar buscando alguém que lhe seja igual. Como eu já disse, homens e mulheres vão sempre se sentir incomodados um com o outro, pois são diferentes, porém são complementares. Um deve ir em direção ao outro, e ambos devem ceder; é esse movimento de um para o outro que nos tira do nosso egoísmo. O homem foi feito para a mulher e a mulher para o homem. Isso é o plano de Deus!

A primeira obediência que nós devemos a Deus é aceitar que Ele criou homens e mulheres diferentes. Criou “um contra o outro”, de forma complementar o outro. Precisamos aprender a entender a beleza deste projeto do Senhor. A família é a criação Divina que nos tira de nosso egoísmo. Essa história que corre por aí, essa “engenharia social” que quer famílias mais “abertas”, onde se não der certo com esse ou com aquela, então se pode trocar de companheiro(a) até acharmos um(a) que nos agrade, é uma verdadeira fábrica de egoísmo.

Seja fiel a Deus! Seja fiel ao projeto de Deus! E não queira inventar a família, pois ela não é projeto humano. Eu creio em Deus, no Deus que criou a família. Por isso eu creio na família! A família não é o paraíso aqui na terra, não é aquele sonho encantado, onde não existe o sofrimento. Ela é aquele grupo de pessoas que eu amo, aqueles que não arredam o pé do meu lado, que não me abandonam, e que me tiram do meu egoísmo, que me fazem crescer.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda