Santo Inácio de Loyola

“Muita sabedoria unida a uma santidade moderada é preferível a muita santidade com pouca sabedoria”.

“Acredito que o branco que eu vejo é negro, se a hierarquia da Igreja assim o tiver determinado”.

“Ninguém trabalha melhor do que quando faz uma coisa apenas”.

“Como se me afigura vil o mundo quando olho para o céu”.

“Muita sabedoria unida a pouca santidade é preferível a muita santidade unida a pouca sabedoria”.

“A vitória mais bela que se pode alcançar é vencer a si mesmo”.

“Ninguém sabe o que Deus faria de nós, se não opuséssemos tantos obstáculos à sua graça”.

 

Oração de Santo Inácio de Loyola
Tomai Senhor, e recebei
Toda a minha liberdade, e a minha memória também
O meu entendimento, e toda minha vontade
Tudo que tenho e possuo,
Vós me destes com amor
Todos os dons que me destes
Com gratidão vos devolvo
Dispondo deles Senhor
Segundo a Vossa Vontade
Dai-me somente o Vosso Amor, Vossa Graça
Isso me basta, nada mais quero pedir.

 

Alma de Cristo
Alma de Cristo, santificai-me.
Corpo de Cristo, salvai-me.
Sangue de Cristo, inebriai-me.
Água do lado de Cristo, lavai-me.
Paixão de Cristo, confortai-me.
Ó bom Jesus, ouvi-me.
Dentro de Vossas chagas, escondei-me.
Não permitais que eu me afaste de vós.
Do espírito maligno, defendei-me.
Na hora da minha morte, chamai-me e mandai-me ir para Vós
para que, com os vossos santos, Vos louve por todos os séculos dos séculos.
Amém.

 

Exame de Consciência
Adaptado de Exercícios Espirituais, de Santo Inácio de Loyola:

“EXAME GERAL DE CONSCIÊNCIA – PARA SE PURIFICAR E SE CONFESSAR MELHOR”.
Modo de Fazer o Exame de Consciência
1º: dar graças a Deus nosso Senhor pelos benefícios recebidos.
2º: pedir graças para conhecer os pecados e rejeitá-los.
3º: pedir conta a si mesmo desde a hora em que se levantou até o exame presente, hora por hora ou tempo por tempo, primeiro dos pensamentos, depois das palavras e em seguida das obras, pela mesma ordem que se disse no exame particular.
4º: pedir perdão a Deus nosso Senhor das faltas.
5º: propor emendar-se com a sua graça. Pai-nosso

A) Pensamentos
Pressuponho haver em mim três espécies de pensamentos, a saber: um é propriamente meu, e procede da minha liberdade e querer; e outros dois que vêm de fora, um do bom espírito e o outro do mau.
Há duas maneiras de merecer num mau pensamento que vem de fora:
1ª: Vem, por exemplo, o pensamento de cometer um pecado mortal. Resisto prontamente a esse pensamento, e ele fica vencido.
2ª: Quando me vem aquele mesmo mau pensamento e eu lhe resisto, e torna a vir, uma e outra vez, e eu resisto sempre, até que o pensamento fica vencido. Esta segunda maneira é de mais merecimento do que a primeira.
Peca-se venialmente quando vem o mesmo pensamento de pecar mortalmente e a pessoa lhe dá atenção, demorando-se algum tempo nele ou recebendo alguma deleitação sensível, ou havendo alguma negligência em rejeitar esse pensamento.
Peca-se mortalmente de dois modos:
1º: quando se consente num mau pensamento, com a intenção de agir em seguida conforme consentiu, ou de o realizar se fosse possível.
2º: quando se executa, de fato, esse pensamento. Isto é mais grave por três motivos: primeiro, por causa de sua maior duração; segundo, pela sua maior intensidade; terceiro, pelo maior dano para as duas pessoas.

B) Palavras
Não se deve jurar nem pelo Criador, nem pela criatura, a não ser com verdade, por necessidade e com reverência. “Por necessidade” entendo, não quando se afirma com juramento uma verdade qualquer, mas quando essa verdade é de certa importância para o proveito da alma, ou do corpo ou dos bens temporais. “Com reverência” entendo, quando o proferir o nome de seu Criador e Senhor se considera e se rende a honra e o respeito que lhe são devidos.
Não devemos dizer nenhuma palavra ociosa. Por palavra ociosa entendo aquela que não tem utilidade nem para mim, nem para outrem, nem se ordena a tal fim. De forma que não pe palavra ociosa falar daquilo que aproveita, ou se diz com intenção de aproveitar à própria alma, ou à de outro, ao corpo ou aos bens temporais, mesmo que se fale de assuntos estranhos a própria profissão, como um religioso a tratar de guerras ou de comércio. Em resumo, podemos dizer que há mérito quando as palavras são inspiradas por uma boa intenção, e pecado quando por uma intenção repreensível ou se se falar em vão.
Nada se deve dizer para difamar ou murmurar, porque se se revela um pecado mortal que não seja público, peca-se mortalmente; e venialmente, se se revela um pecado venial; e se se descobre um defeito, mostra-se um defeito próprio.
Se é reta a intenção, em dois casos se pode falar do pecado ou falta de outrem:
1º: quando o pecado é público, por exemplo, tratando-se de uma pessoa de má vida e conhecida por tal, ou de uma sentença dada em juízo; ou de um erro público que corrompe as almas daqueles com quem se trata.
2º: quando se revela a alguém um pecado oculto, para que ele ajude o pecador a levantar-se, desde que haja esperança ou razões fundadas de que ele possa ser útil.

C) Obras
Tomando por objeto de exame os dez mandamentos, os preceitos da Igreja e as ordens dos superiores, tudo o que se faz contra qualquer destas três matérias é pecado mais ou menos grave, conforme for maior ou menor a sua importância.
1 – “Não é o muito saber que sacia e satisfaz a alma, mas o sentir e saborear internamente as coisas”.
2 – “Encontrar Deus em todas as coisas e ver que todas as coisas vem do alto”.
3 – “Nós deveríamos procurar colher o perfume infinito e a doçura infinita da Divindade”.
4 – “Para não nos enganar em tudo, devemos ter sempre este critério: o que para mim é branco faço-o negro, se é a Igreja hierárquica quem o diz. De fato, nós cremos que aquele Espírito que governa e guia nossas almas para a salvação, está também em Cristo Nosso Senhor, o Esposo, e na Igreja sua Esposa”.
5 – “A verdadeira obediência não considera aquele a quem é prestada, mas sim aquele por quem se obedece; e se obedece só por nosso Criador e Senhor, é ao mesmo Senhor de todos que se obedece”.
6 – “Como se me afigura vil o mundo quando olho para o céu”.
7 – “A humildade consiste em alegrar-nos com tudo o que nos leva a reconhecer o nosso nada”.
8 – “A vitória mais bela que se pode alcançar é vencer a si mesmo”.
9 – “Ninguém sabe o que Deus faria de nós, se não opuséssemos tantos obstáculos à sua graça”.
10 – “Muita sabedoria unida a uma santidade moderada é preferível a muita santidade com pouca sabedoria”.
11 – “Jesus é realmente fundamental. Sem Ele nada teria sentido!”

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda