A gratuidade de Deus

Quarta-feira, 8 de julho de 2015, Alessandra Borges / Da Redação

O Papa pede aos religiosos que nunca se esqueçam da própria origem e da gratuidade do serviço prestado a Deus

Em seu último compromisso oficial no Equador, nesta quarta-feira, 8, o Papa Francisco visitou o Santuário Nacional Mariano de El Quinche, onde discursou ao clero, aos religiosos, às religiosas e aos seminaristas do país.

O Santo Padre foi recepcionado pelos presentes com uma calorosa cerimônia de boas-vindas. Nas palavras de saudação dirigidas à Sua Santidade destacaram-se a grande admiração e o carinho do povo equatoriano e a expectativa para essa visita desde sua eleição.

A gratuidade no serviço e a recordação da origem foram o centro da mensagem do Bispo de Roma ao clero, religiosos e seminaristas.

“Façam este caminho de retorno à gratuidade para a qual Deus os escolheu, pois vocês não pagaram a entrada para entrar [vida religiosa]. Toda a vida de um religioso, sacerdote ou seminarista tem que ser um caminho de gratuidade e de voltar-se para Deus. Somos objetos da gratuidade de Deus, mas, se nos esquecemos disso, vamos nos distanciando da gratuidade de Deus”, frisou o Papa.

O Santo Padre pediu aos consagrados presentes que nunca vão dormir sem agradecer ao Senhor por esta gratuidade para que nunca se esqueçam de suas raízes e de seu verdadeiro chamado.

“Cuidem da saúde e não se deixem cair em uma enfermidade que é muita perigosa, não caiam no ‘Alzheimer espiritual’. Não percam a memória, sobretudo a memória de onde vocês provêm! Nunca se esqueçam de onde vocês vieram”, aconselhou o Sucessor de Pedro.

Durante sua mensagem, o Sumo Pontífice também alertou sobre o perigo de o religioso querer “fazer carreira” e perder o sentido da missão para a qual o Senhor o chamou e, assim, se distanciar de seu verdadeiro chamado: evangelizar e ir até o necessitado para levar-lhe a alegria, a paz e o amor de Deus.

Ao ressaltar que os religiosos não devem se distanciar de sua origem nem deixar de servir a Igreja e os filhos de Deus de modo simples, sincero e gratuito – a exemplo de Nossa Senhora –, o Santo Padre recordou que a Santíssima Virgem Maria é o modelo cristão de gratuidade no serviço ao irmão e de fidelidade à sua origem e ao seu chamado.

E encerrou sua fala abençoando todos os sacerdotes, religiosos e seminaristas presentes no encontro e também pediu a eles que não deixem de rezar por ele para que ele também não se esqueça de sua origem e da gratuidade de Deus.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda