Sábado ou Domingo?

Algumas seitas ensinam que o Dia do Senhor é o sábado e não o Domingo. São chamadas sabatistas.

Eles se baseiam no Antigo Testamento e assim mesmo interpretam as passagens bíblicas de forma errada. Eles só decoram bem os versículos bíblicos. Mas de que adianta decorar versículos se o principal, que é entendê-los e vivê-los, lhe faltam?

Jesus é o Senhor do Sábado e trabalhou no Sábado, realizando milagres e de propósito para libertar os judeus do formalismo sabático.

Leia-se Marcos 3, 1-6;  Mateus 12, 1-8;  Marcos 2, 24-28;  Lucas 6, 5-11;  Lucas 13, 14-16;  Lucas 14, 1-6;  João 5, 10-11;  João 7, 23; João 9, 16.

Importante Colossenses 2, 16-17: “a ostentar a palavra da vida, dessa forma, no dia de Cristo, sentirei alegria em não ter corrido em vão, em não ter  trabalhado em vão. Ainda que tenha de derramar o meu sangue sobre o sacrifício em homenagem à vossa fé, eu me alegro e vos felicito”.

Domingo é o Dia do Senhor: “No primeiro dia que se seguia ao sábado, Maria Madalena foi ao sepulcro, de manha cedo, quando ainda estava escuro. Viu a pedra removida do sepulcro” (João 20, 1).

“No primeiro dia da semana, muito cedo, dirigiram-se ao sepulcro com os aromas que haviam preparado. Acharam a pedra removida longe da abertura do sepulcro. Entraram, mas não encontraram o corpo do Senhor Jesus” (Lucas 24, 1-3).

“Chegando ao dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar” (Atos 2, 1) / Pentecostes ocorre no domingo.

“Eu, João, vosso irmão e companheiro nas tribulações, na realeza e na paciência em união com Jesus, estava na ilha de Patmos por causa da palavra de Deus e do testemunho de Jesus. Num domingo, fui arrebatado em êxtase, e ouvi, por trás de mim, voz forte como de trombeta” (Apocalipse 1, 9-10).

A História registra que os católicos sempre guardaram o Domingo como o Dia do Senhor. Há registros exatos dessa prática no ano 70 da nossa era.

NO SÁBADO – A SANTA MISSA TEM O MESMO VALOR LITÚRGICO DO QUE A DE DOMINGO

Muitos católicos ainda hoje, dizem que as Missas celebradas no sábado a noite, não tem valor  litúrgico. Enganam-se todos eles, pois na época de Cristo o domingo começava ao por do sol no dia de sábado.

O Catecismo da Igreja Católica nos ensina: O mandamento da Igreja determina e especifica a lei do Senhor. “Aos domingos e nos outros dias de festas de preceito, os fiéis têm a obrigação de participar da Missa”… “Satisfaz ao preceito de participar da Missa quem assiste à Missa celebrada segundo o rito católico no próprio dia de festa ou à tarde do dia anterior” (CIC 2180).

Assim sendo: Se for utilizado os ritos do domingo, a missa do sábado a noite, satisfaz e se dá o valor a Santa Missa.

As Pedras Grandes e o Vaso – (Vida e Conhecimento)

Um professor de Ciências de um colégio queria demonstrar um conceito aos seus alunos.

Pegou um vaso de boca larga e colocou algumas pedras dentro.

Então perguntou a classe:

– Está cheio?

Unanimemente responderam:

– Sim! O professor então pegou um balde de pedregulhos e virou dentro do vaso. Os pequenos pedregulhos se alojaram nos espaços entre as rochas grandes.

Então perguntou aos alunos:

– E agora, está cheio?

Desta vez alguns estavam hesitantes, mas a maioria respondeu:

– Sim!

O professor então levantou uma lata de areia e começou a derramar areia dentro do vaso.

A areia então preencheu os espaços entre os pedregulhos. Pela terceira vez o professor perguntou:

– Então, está cheio?

Agora a maioria dos alunos estava receosa, mas novamente muitos responderam:

– Sim! O professor então mandou buscar um jarro de água e jogou-a dentro do vaso.

A água saturou a areia.

Neste ponto, o professor perguntou para a classe:

– Qual o objetivo desta demonstração? Um jovem e brilhante aluno levantou a mão e respondeu: 

Não importa quanto a ‘agenda’ da vida de alguém esteja cheia, ele sempre conseguirá ‘espremer’ dentro mais coisas!

– Não, respondeu o professor, o ponto é o seguinte: A menos que você coloque as pedras em primeiro lugar dentro do vaso, nunca mais as conseguirá colocar lá dentro. As pedras grandes são as coisas importantes de sua vida: seu relacionamento com Deus, sua família, seus amigos, seu crescimento pessoal e profissional.

Se você preencher sua vida somente com coisas pequenas, como demonstrei com os pedregulhos, com a areia e a água, as coisas realmente importantes nunca terão tempo, nem espaço em suas vidas.

 

A MISSA DE DOMINGO E SUA OBRIGAÇÃO
http://www.veritatis.com.br/inicio/espaco-leitor/5850-leitor-pergunta-sobre-a-missa-de-domingo-e-sua-obrigacao

Uma pessoa poderia trocar o dia de ir à Missa efetivamente, ou somente em casos de impossibilidade de se ir no fim de semana? Por exemplo, ao invés de ir à Missa aos sábados ou domingos, ela decidiria escolher um outro dia, ir sempre às segundas-feiras por exemplo, e sendo que em casa no domingo leria o evangelho do domingo estaria assim pecando de acordo com os mandamentos da Igreja? A Missa do domingo é mais importante que a Missa durante a semana? Poderá ela ser condenada se fizer isso? É um assunto sagrado e em se tratando disso não pode existir dúvida alguma.

1) A Missa é celebrada todos os dias, e em todos tem o mesmo valor intrínseco. Daí que não há maior santificação em quem assiste neste ou naquele dia.

2) Todavia, o III Mandamento obriga à santificação do Dia do Senhor, o Domingo, e o modo principal de santificarmos o Domingo é pela assistência à Santa Missa. Assim, ir à Missa em qualquer dia é devoção, mas aos Domingos, além disso, é obrigação.

3) Por questões pastorais, a lei da Igreja autorizou que a Missa Dominical possa ser antecipada para o sábado anterior, à hora canônica de Vésperas ou após. Daí que o cumprimento do preceito de assistir Missa aos Domingos não se faz pela Missa de sábado, mas só pela Missa de Domingo (incluindo a Missa de Domingo antecipada para o sábado). A Missa da liturgia própria de sábado não supre o preceito.

4) Os mandamentos obrigam ao possível. Não sendo possível assistir à Missa no Domingo (ou no sábado com a de Domingo antecipada), o fiel não é obrigado. Nem precisa tentar suprir em outro dia. Claro, estamos falando de real impossibilidade (igreja muito longe, falta de sacerdote etc). Não podendo ir à Missa Dominical (com real impossibilidade, frisamos!), simplesmente o fiel está escusado.

5) Claro que sempre se pode ir à Missa nos outros dias, mas isso não supre a falta de Domingo. Se ele não foi porque não quis, não há nenhum outro dia “a escolha”. Se ele não foi porque REALMENTE não pôde, não precisa de outro dia “a escolha”.

6) Quando se está escusado de ir à Missa Dominical pela real impossibilidade, o fiel deve santificar o Domingo pela abstenção dos trabalhos não essenciais (o que já é pedido mesmo que ele vá à Missa), e com outras formas de devoção (rezar o terço, se não reza durante a semana; ler o Evangelho; ler a liturgia da Missa, com a coleta, kyrie, glória etc).

7) A Missa de Domingo, em si, não é mais importante do que a da semana, pois todas são o mesmo, único e suficiente sacrifício de Nosso Senhor Jesus Cristo, oferecido na Cruz do Calvário ao Pai, por nossos pecados, tornado real e substancialmente presente. Todavia, pelo mandamento divino e pela ressurreição do Senhor ter se dado no Domingo, há uma obrigação de assistir tal Missa, ao passo que as demais são meramente recomendadas.

8) Deixar a Missa Dominical sem real impossibilidade ou grave motivo é pecado mortal.

Leia em http://www.veritatis.com.br/article/35 a Carta Apostólica Dies Domini, de São João Paulo II, sobre o Domingo.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda