Seguir Jesus é ter uma casa, a Igreja

Missa na Santa Marta, segunda-feira, 24 de fevereiro  de 2014, Da Redação, com Rádio Vaticano

Santo Padre lembrou que Jesus nunca deixa o homem só pelo caminho, há a Santa Igreja que é uma casa para onde voltar

Seguir Jesus não é “uma ideia”, mas um contínuo “permanecer em casa”, a Igreja, onde Cristo sempre traz alguém de volta, mesmo quem se afastou. Esse foi o ensinamento do Papa Francisco em Missa nesta segunda-feira, 24, na Casa Santa Marta.

A reflexão partiu do Evangelho do dia, que relata o episódio em que Jesus livrou um menino de um espírito impuro. O cenário era de desordem, explicou o Papa, uma multidão rodeava o local, o pai do menino estava desesperado e pediu a ajuda de Jesus.

Dessa passagem, Francisco destacou o gesto piedoso de Jesus, que não só realizou a cura, mas abaixou-se para erguer o menino que havia sido curado. “Jesus, quando cura, quando vai entre o povo e cura uma pessoa, nunca a deixa sozinha. Não é um mago, um feiticeiro, um curandeiro que vai e cura e continua: a cada um faz voltar ao seu lugar, não o deixa pelo caminho. E são gestos belíssimos do Senhor”.

Aí está o ensinamento, conforme explicou o Papa: Jesus sempre faz o homem voltar à casa, nunca o deixa sozinho pelo caminho. Ele lembrou que Jesus não veio do Céu sozinho, mas é Filho de um povo, é a promessa feita a um povo. Dessa forma, seus gestos ensinam que cada cura, cada perdão sempre fazem o ser humano voltar ao seu povo, que é a Igreja.

Francisco prosseguiu dizendo que Cristo sempre perdoa e os seus gestos às vezes parecem revolucionários ou inexplicáveis quando o seu perdão se dirige àqueles que se afastaram. Mas quando perdoa, Jesus faz voltar à casa, ressaltou o Papa.

“Assim, não se pode entender Jesus sem o povo de Deus. É um absurdo amar Cristo sem a Igreja, ouvir Cristo, mas não a Igreja, seguir Cristo à margem da Igreja”, enfatizou Francisco, citando mais uma vez o Papa Paulo VI: “Cristo e a Igreja são unidos”.

Dessa forma, os gestos de ternura de Jesus fazem entender que a doutrina católica ou o “seguir Cristo” não é uma ideia, mas sim um contínuo “permanecer em casa”. E se às vezes acontece de alguém sair de casa por causa de um pecado, de um erro, a salvação é voltar pra casa, com Jesus na Igreja.

“São gestos de ternura. Um a um, o Senhor nos chama assim, ao seu povo, dentro da sua família, a nossa mãe, a Santa Igreja. Pensemos nestes gestos de Jesus”.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda