A misericórdia como via da paz no mundo

Homilia de Francisco, segunda-feira, 17 de março de 2014, Da Redação, com Rádio Vaticano

Após semana de exercícios espirituais, Francisco voltou a celebrar na Casa Santa Marta, concentrando-se sobre a necessidade de seguir caminho de misericórdia

Perdoar para encontrar misericórdia: este é o caminho que leva à paz nos corações e no mundo. Este foi o ponto chave da homilia do Papa Francisco na Missa desta segunda-feira, 17, na Casa Santa Marta. O Papa voltou a celebrar nesta manhã após a semana de retiro em Ariccia.

Francisco comentou as palavras de Jesus no Evangelho do dia – “Sede misericordiosos, como também o vosso Pai é misericordioso” – dizendo que não é fácil entender esta atitude porque o ser humano está habituado a julgar. Para ser misericordioso, são necessárias, segundo ele, duas atitudes: conhecer a si mesmo e alargar o coração.

Sobre o conhecimento de si mesmo, o Papa falou da necessidade de reconhecer-se pecador e envergonhar-se dos pecados, pois diante do arrependimento, a justiça de Deus se transforma em misericórdia e perdão.

Muitas vezes, continuou o Santo Padre, justifica-se o pecado jogando a culpa nos outros. Todavia, por mais que alguém tenha facilitado o caminho do pecado, é necessário admitir o próprio erro. “Se nós fazemos isso, quantas coisas boas virão, porque seremos humildes! E com esta atitude de arrependimento, somos mais capazes de ser misericordiosos, porque sentimos sobre nós a misericórdia de Deus”.

A outra atitude para ser misericordioso, segundo Francisco, é alargar o coração, porque um coração pequeno e egoísta é incapaz de misericórdia. Ele também atentou para o fato de que ninguém pode julgar o erro do outro.

“Esta frase: ‘Quem sou eu para julgá-lo? Quem sou eu para fofocar sobre isso? Quem sou eu, que fiz as mesmas coisas ou pior?’. O coração alargado! E o Senhor diz: ‘Não julgueis e não sereis julgados! Não condeneis e não sereis condenados! Perdoai e sereis perdoados! Dai e vos será dado!’ Esta generosidade de coração!”.

O Santo Padre enfatizou que o coração grande não condena, mas perdoa e esquece, porque Deus esqueceu e perdoou os seus pecados. Ele concluiu exortando os fiéis a seguirem esse caminho de misericórdia.

“Se todos nós, se todos os povos, as pessoas, as famílias, os bairros, tivéssemos esta atitude, quanta paz haveria no mundo, quanta paz nos nossos corações! Porque a misericórdia nos leva à paz. Lembrem-se sempre: ‘Quem sou eu para julgar?’. Envergonhar-se e alargar o coração. Que o Senhor nos dê esta graça”.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda