Não há “matrimônio express”

Quarta-feira, 27 de maio de 2015, Da Redação, com informações do Vaticano

Noivado é etapa importante de conhecimento recíproco para preparar o casal para o matrimônio, lembrou o Papa

Seguindo no ciclo de catequeses sobre família, o noivado foi o tema da catequese do Papa Francisco nesta quarta-feira, 27. Segundo Francisco, trata-se de um tempo de conhecimento recíproco e de partilha para traçar, juntos, um caminho, já que não existe um “matrimônio express”.

Em italiano, noivado se diz “fidanzamento”, o que está relacionado com a palavra “fiducia”, que significa “confiança”. Logo, o Papa explicou que se trata de uma confiança com a vocação dada por Deus, porque o matrimônio é, antes de tudo, a descoberta de um chamado divino.

“Certamente, é belo que hoje os jovens possam escolher se casar na base de um amor recíproco. Mas justamente a liberdade da relação requer uma consciente harmonia da decisão, não somente uma simples compreensão da atração ou do sentimento, de um momento, de um tempo breve… Requer um caminho”.

O noivado é, então, um tempo de conhecimento recíproco, deve amadurecer assim como uma fruta, já que a aliança de amor entre homem e mulher para toda a vida não se faz de um dia para o outro. “Não existe o ‘matrimônio express’: é preciso trabalhar, caminhar. A aliança aprende-se e se aperfeiçoa”.

O noivado amadurece até que se torne matrimônio, explicou o Papa, lembrando, inclusive, a importância do curso de preparação que é oferecido antes do casamento e que muitos casais acreditam ser inútil. Depois, acabam reconhecendo e ficando agradecidos, pois encontram ali a ocasião para refletir sobre essa experiência.

A importância da Bíblia não passou despercebida. Francisco lembrou que nela o casal pode redescobrir momentos fundamentais para um católico, como a oração e os sacramentos, para preparar o matrimônio de maneira cristã, e não mundana.

Francisco pediu aos jovens que não pulem nenhuma dessas etapas de amadurecimento. “O período do noivado pode se tornar realmente um tempo de iniciação à surpresa dos dons espirituais com os quais o Senhor, através da Igreja, enriquece o horizonte da nova família que se dispõe a viver na sua bênção.”

Na conclusão da catequese, o Papa pediu que se rezasse uma Ave-Maria por todos os noivos, a fim de que possam entender a beleza desse caminho rumo ao matrimônio.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda