No dia da Sagrada Família, Papa pede que pais eduquem filhos em Deus

Domingo, 31 de dezembro de 2017, Da redação, com Boletim da Santa Sé

Segundo Francisco ao proteger e educar os filhos para que se abram a Deus, pais criam crianças construtivas para o mundo

Papa acena aos fiéis presentes na manhã deste domingo, 31, na Praça São Pedro, para o último Ângelus de 2017 / Foto: Reprodução Youtube Vatican News

“Deus é o Senhor da história individual e familiar”. Esta foi a afirmação do Papa Francisco durante o último Ângelus de 2017 que teve como tema central a Sagrada Família de Nazaré. Da janela do Palácio Apostólico do Vaticano, o Santo Padre destacou Maria, José e Jesus como exemplos de mútuo amor e confiança em Deus, e convidou os cristãos a seguirem estes exemplos.

De acordo com o pontífice a confiança é uma expressão do rito realizado por Maria e José quando, ao apresentarem Jesus ao Senhor, o casal o leva à Jerusalém. “Os pais de Jesus vão ao templo para certificar que a criança pertence a Deus e que eles são os guardiões de sua vida e não os donos. E isso nos faz refletir. Todos os pais são guardiões da vida de seus filhos, não proprietários, e devem ajudá-los a crescer, amadurecer”, enfatizou.

Francisco afirma que cada família é chamada a proteger e educar as crianças para se abrirem a Deus, que é a própria fonte da vida e juventude interior. Segundo o Santo Padre, Simeão e Anna, inspirados pelo Espírito Santo, afirmaram que Jesus nasceu como sinal de contradição para que os pensamentos de muitos corações fossem revelados, ou seja, para derrubar as imagens falsas que são feitas de Deus e do ser humano.

“Jesus veio (…) para ‘contradizer’ as certezas mundanas sobre as quais reivindicamos nos apoiar; para nos fazer ‘ressuscitar’ para uma verdadeira viagem humana e cristã autêntica baseada nos valores do Evangelho. Não há uma situação familiar que seja impedida neste novo caminho de renascimento e ressurreição. E toda vez que as famílias, mesmo as feridas e marcadas pela fragilidade, fracasso e dificuldade, retornam à fonte da experiência cristã, novos caminhos e possibilidades inimagináveis ​​se abrem”, suscitou o Papa.

O pontífice prosseguiu reconhecendo como grande alegria da família o crescimento das crianças, que assim como Jesus, estão destinadas a se desenvolver e a se fortalecer, adquirir sabedoria e receber a graça de Deus. “Ele é verdadeiramente um de nós: o Filho de Deus se torna um filho, aceita crescer, fortalecer-se, está cheio de sabedoria e a graça de Deus estão sobre ele. Maria e José têm a alegria de ver tudo isso em seu filho”, reiterou.

O Papa finalizou a reflexão do Ângelus promovendo a maior missão da família: “Criar as condições favoráveis ​​para o crescimento harmonioso e pleno das crianças, para que possam viver uma vida boa, digna de Deus e construtiva para o mundo”. Francisco despediu-se dos peregrinos, que o acompanhavam da Praça São Pedro, desejando-lhes um bom domingo e um feliz final de ano.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda