Santa Cecília, Padroeira dos Músicos

Padre Delton Filho, Comunidade Coração Fiel

Dia 22 de novembro, dia do músico, fazemos memória de Santa Cecília padroeira dos músicos. Existe uma mártir da Igreja que nos deixou uma história fenomenal, é padroeira, protetora dos músicos. Cecília viveu nos primeiros séculos da Igreja, era de família nobre, que tinha posses. Naquele tempo, a Igreja vivia o duro período da perseguição. Para professar a fé, se encontrar com a Palavra e a Eucaristia muitos tinham que celebrar às escondidas. Muitas vezes isso acontecia nas casas das famílias e Cecília tinha o prazer de emprestar sua casa para a celebração da Santa Missa. Cantava maravilhosamente, fazendo com que todos sentissem a presença de Deus, também era instrumentista – tocava piano e harpa. E, por causa de sua beleza externa e também por causa de sua voz, o imperador quis possuí-la; então a convidou para ir até seu palácio e lhe fez esta proposta: “venha morar comigo aqui no palácio e eu lhe darei tudo que você ainda não pôde experimentar.
Quero ouvir sua música e ter você a meu lado”. Ela respondeu que não poderia ir, porque estava noiva e amava Jesus de Nazaré. Então voltou para casa, mas começa a ser perseguida pelo imperador para que mudasse de idéia. Mas permaneceu fiel. Chegando o dia das núpcias de Cecília, quando partilharia com seu esposo o amor que celebraram diante de Deus. No leito nupcial, ela faz uma revelação a seu esposo, olhando em seus olhos:
“O amor do Senhor me conquistou. Eu te amo também, mas preciso lhe pedir que me permita viver para Ele, mesmo estando a seu lado. Guardando a minha virgindade”. O marido confuso, mas também tocado por suas palavras responde:
“Eu acredito em você se um anjo vier e disser que você pertence a Deus”. Então Cecília se ajoelhou e fez uma oração que seu esposo jamais esqueceu, pedindo a Deus este sinal. Aqui encontramos a espiritualidade do músico, pois a canção, na verdade, é extensão, consequência de toda intimidade que o músico tem com o Senhor. O anjo então, se entrou no quarto nupcial e se aproximando do esposo, diz “Ela pertence ao Senhor”. Naquela hora, o esposo consagrou-se também ao Senhor para viver unido a ela como casal, mas os dois castamente para o Senhor.
Mas o imperador não desistiu e depois matar o esposo de Cecília, pediu-lhe que renunciasse a Deus. Ela negou e ficou presa uma semana, sem nenhum contato com ninguém, não podia nem cantar. Mas permaneceu firme e consciente do que queria, mesmo enfraquecida. Todo músico passa por situações dolorosas, quem não sofre não vive, quem não vive não cresce, quem não cresce não morre e quem não morre não ressuscita. Depois de ter sobrevivido a um incêndio, tiraram-lhe seu instrumento mais precioso – sua voz. O soldado cortou com uma faca a garganta de Cecília. É conhecimento médico que alguém sofrendo um corte nesta área, morre em minutos. Mas por um milagre ela sobreviveu ainda por três dias. Os cristãos que estavam por perto, pediram que escrevesse um “testamento”.
Cada músico precisa pensar em seu testamento. Nosso Senhor deixou seu testamento na cruz, por meio das 7 palavras. Qual herança você vai deixar? Cecília escrevia as últimas recomendações a seus criados e amigos. Uma delas era que sua casa fosse transformada em uma Igreja, e de fato hoje a casa de Cecília está no subsolo de sua basílica. Antes de morrer disse, por meio de gestos “morro por causa de meu Deus”.
Dê a Deus o seu melhor, como Cecília que não teve medo de dar até a própria vida. Nós precisamos de cristãos que tem a coragem de dar a vida, há esperança para o nosso Brasil, há esperança para a Igreja. Não retenha nada para si, confie, dê ao Senhor o seu máximo. Porque Ele já lhe deu tudo, já fez tudo por você. Músico não retenha nenhuma nota sequer, dê tudo ao Senhor. Não espere amanhã, não podemos aumentar um dia sequer na nossa existência. E se for a sua última chance? Renda-se diante do amor de Deus, renda-se diante do tudo que Deus lhe deu. Se você precisa de ajuda, eu também preciso, todos nós precisamos. Mas comece com humildade, uma coisa de cada vez. Comece rendendo-se ao Senhor.

 

Santa Cecília, padroeira dos músicos
22 de novembro

“Enquanto ressoavam os concertos profanos das suas núpcias, Cecília cantava, no seu coração, um hino de amor a Jesus, seu verdadeiro Esposo” (Atas de Santa Cecília).

Considerada padroeira dos músicos, Santa Cecília é exemplo de fé e coragem. Diz a história que, no dia das núpcias, a jovem noiva, em meio aos hinos de pureza que cantava no íntimo do coração, partilhou com o marido o fato de ter consagrado sua virgindade a Cristo e que um anjo guardava sua decisão. Valeriano, seu esposo, que até então era pagão, a respeitou, mas disse que somente acreditaria se contemplasse o anjo. Tempos mais tarde, o anjo apareceu-lhe e, por isso, Valeriano se converteu e foi batizado.

“Ter Santa Cecília como intercessora é ter a certeza de que a canção, quando cantada com amor verdadeiro, chega não somente ao coração das pessoas, mas também ao coração do próprio Senhor”, diz a missionária da Comunidade Canção Nova Rosiane Tais.

Para a cantora católica Ziza Fernandes, o que mais chama sua atenção em Santa Cecília é a capacidade de ser coerente com o que acreditava. “Ela foi mártir da verdade, derramando seu sangue por não abrir mão do que acreditava: a crença na Santíssima Trindade. Quando conheci as catacumbas onde está Santa Cecília, para mim foi um momento indescritível. O momento de martírio dela é algo admirável, e é esse tipo de postura que eu preciso ter em minha vida artística: com responsabilidade e compromisso em tudo o que vou fazer”. A cantora diz admirar a coerência e a coragem de sua padroeira: “Santa Cecília foi feminina, delicada e, ao mesmo tempo, determinada. Peço a Deus que me dê forças para que, nas pequenas mortes do meu dia a dia, eu saiba morrer e renunciar ao que for preciso para continuar fiel e responsável diante das coisas que eu digo e acredito”.

Ter Santa Cecília como padroeira é um contínuo convite à santidade. A tradição conta que Cecília cantava na hora da morte. É um convite a uma vida inspirada num modo novo de viver, num mundo que também me inspira coisas velhas.

“Deus Todo-Poderoso, que nos destes a vida, os sons da natureza, o dom do ritmo, do compasso e da afinação das notas musicais, dai-nos a graça de conseguir técnica aprimorada em nossos instrumentos, a fim de que possamos exteriorizar nossos sentimentos por meio dos sons. Permita, Senhor, que os sons por nós emitidos sejam capazes de acalmar nossos irmãos perturbados, curar doentes e animar os deprimidos, que sejam brilhantes como as estrelas e suaves como o veludo. Permita, Senhor, que todo ser que ouvir o som dos nossos instrumentos sinta-se bem e pressinta a vossa presença”.

Santa Cecília, padroeira dos músicos, rogai por nós! Amém! 

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda