O Papa Francisco recorda os ensinamentos da Igreja sobre a homossexualidade

VATICANO, 30 Jul. 13 (ACI/EWTN Noticias) – No voo de volta a Roma, o Papa Francisco surpreendeu os jornalistas com uma roda de imprensa em que respondeu a suas inquietações. Na última pergunta abordou o tema do lobby gay e recordou os ensinamentos da Igreja sobre os homossexuais.
“Se escreve muito sobre o lobby gay. Até agora não encontrei ninguém no Vaticano com uma carteira de identidade que diga “gay”. Alguns dizem que há. Quando alguém se encontra com uma pessoa assim, deve distinguir entre o fato de ser gay e o fato de fazer lobby gay, porque nenhum lobby é bom. Se uma pessoa é gay e procura Jesus, e tem boa vontade, quem sou eu para julgá-la? O catecismo diz que não se deve marginalizar essas pessoas por isso. Elas devem ser integradas à sociedade. O problema não é ter esta tendência. Devemos ser irmãos. O problema é fazer lobby, de pessoas gananciosas, lobby de políticos, de maçons, tantos lobbies. Esse é o pior problema”, disse o Papa segundo uma transcrição difundida pelo jornal El Mundo da Espanha.

O que ensina o Catecismo
Na Terceira Parte do Catecismo, titulada “A Vida em Cristo”, o Catecismo da Igreja Católica aborda o tema da homossexualidade. Reproduzimos o texto oficial a seguir.

Castidade e homossexualidade
2357 A homossexualidade designa as relações entre homens ou mulheres, que experimentam uma atração sexual exclusiva ou predominante para pessoas do mesmo sexo. Tem-se revestido de formas muito variadas, através dos séculos e das culturas. A sua génese psíquica continua em grande parte por explicar. Apoiando-se na Sagrada Escritura, que os apresenta como depravações graves (Gn 19, 1-29; Rm 1, 24-27; 1 Cor 6, 10; 1 Tm 1, 10), a Tradição sempre declarou que «os atos de homossexualidade são intrinsecamente desordenados» (Congregação para a Doutrina da Fé, Declaração Pessoa Humana, 8). São contrários à lei natural, fecham o ato sexual ao dom da vida, não procedem duma verdadeira complementaridade afetiva sexual, não podem, em caso algum, ser aprovados.
2358 Um número considerável de homens e de mulheres apresenta tendências homossexuais profundamente radicadas. Esta propensão, objetivamente desordenada, constitui, para a maior parte deles, uma provação. Devem ser acolhidos com respeito, compaixão e delicadeza. Evitar-se-á, em relação a eles, qualquer sinal de discriminação injusta. Estas pessoas são chamadas a realizar na sua vida a vontade de Deus e, se forem cristãs, a unir ao sacrifício da cruz do Senhor as dificuldades que podem encontrar devido à sua condição.
2359 As pessoas homossexuais são chamadas à castidade. Pelas virtudes do autodomínio, educadoras da liberdade interior, e, às vezes, pelo apoio duma amizade desinteressada, pela oração e pela graça sacramental, podem e devem aproximar-se, gradual e resolutamente, da perfeição cristã.
Aqui se pode ler o texto oficial do Catecismo:
http://www.vatican.va/archive/cathechism_po/index_new/p3s2cap2_2196-2557_po.html

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda