A veneração da Misericórdia do Senhor

A última tábua da salvação!
Ricardo Sá

Parece o fim, mas não o é! O fato é que Jesus Cristo, mesmo após ter a vida entregue à morte na cruz, não obstante Seus inúmeros feitos como o Filho de Deus que era; após caminhar sobre as águas, ressuscitar mortos, renascer após três dias, subir aos céus e assim dar início à maior e mais profunda revolução na história da humanidade… Após ter o Corpo exposto à vergonha e chagas, ter o peito aberto, a fronte coroada de espinhos, sendo submetido à humilhação e ao desprezo… Este homem, ainda assim, considerou Seus feitos – por fraqueza nossa – ineficazes. Motivo pelo qual apareceu para a Irmã Faustina Kowalska, na Polônia, em 1931. Nessa oportunidade, Jesus pediu que fosse celebrada a Festa da Misericórdia. Em seu diário, na página 49 Irmã Faustina registra esse pedido para que Sua “imagem seja benta solenemente no primeiro domingo depois da Páscoa, e esse domingo deve ser a Festa da Misericórdia”. Disse que o perdão total das faltas e dos castigos será concedido àquele que nesse dia se aproximar da Fonte da Vida. “Neste dia, estão abertas as entranhas da Minha Misericórdia. Que nenhuma alma tenha medo de se aproximar de Mim, ainda que seus pecados sejam como o escarlate.” Assim, ao escolher o primeiro domingo depois da Páscoa, o Senhor desejou indicar a estreita união entre o mistério pascal da Redenção e o mistério da Misericórdia de Deus. “As almas se perdem apesar da Minha amarga paixão. Estou lhes dando a última tábua de salvação, isto é, a Festa da Misericórdia. Se não venerarem a Minha Misericórdia, perecerão por toda a eternidade.” A Festa da Misericórdia destina-se aos pecadores, considerados por Jesus os mais dignos de Suas graças. Sua mensagem tem pressa, pois evoca a brevidade do tempo e a teimosia de quem não quer ou pouco consegue enxergar que a humanidade inteira afunda num mar de desencontros e mal. Suas palavras são repletas de esperança e salvação, concedendo uma intensa luz a quem já se sente cego por causa de seus próprios erros e desorientação. É a imagem de Jesus ressuscitado que traz aos homens a paz pela remissão dos pecados! Assim é Jesus Misericordioso! Suas vestes são brancas, Seu peito está aberto, de onde brotam sangue e água, para a salvação de todos sem distinção. Seus olhos são os mesmos expostos em Seu rosto na exata hora da crucificação; Suas chagas são a mais perfeita identificação com os menores de Seu Reino e são plenas indicações de que o caminho é mesmo feito em meio a dores, perda de sangue e entrega. Suas mãos abençoam! São bênçãos para todos, sob a condição de que saibam escolher que o tempo é agora! As graças? São colhidas com o vaso da confiança! Em poucas palavras, o tempo chegou! É tempo de Misericórdia!

 

O fundamento da misericórdia está na confiança
Padre Marcos Pacheco

A palavra que vamos partilhar está em (São Lucas 15, 11-32). “O vaso que acolhe o coração do Pai chama-se confiança” (Santa Faustina). Não existe um discípulo da misericórdia que não se deixe tomar pelo amor misericordioso de Deus. Do portão de casa pra fora é fácil viver a “misericórdia”, todo mundo é bom e misericordioso. Mas na vida daqueles que conhecem as nossas misérias, não é fácil viver a misericórdia. O demônio sabe que a misericórdia de Deus é infinita, que ele não possui a última palavra em nossa vida, ele quer que não consigamos ver o Senhor como Ele é. São Lucas quer apresentar um Deus que é Pai tomado de compaixão, de misericórdia, que perdoa, acolhe, quer nos apresentar um Deus que nos resgata. O demônio sabe: “Quando fazemos o encontro pessoal com Deus, a nossa vida nunca mais se torna a mesma”. A desconfiança nos faz sairmos da presença do Pai. E caímos na bobagem de pedir a parte na herança. Herança? Só existe uma, que é Deus. Precisamos cair em nós mesmos e voltarmos para casa. É preciso nos perguntarmos: “O que eu estou fazendo de minha vida?” O ingresso para entrar na misericórdia é a nossa miséria, através o pecado. Miserável é aquele que é necessitado da misericórdia, que somos nós. Ao voltar para casa o filho prepara um discurso: ‘Pai, pequei contra Deus e contra ti. Já não mereço ser chamado teu filho’. Quando chega em casa, não foi o filho que viu o pai, mas o pai que viu o filho de longe. Se eu chegasse agora em minha casa, e só tocasse na corrente do portão. Minha mãe saberia que era eu. Pai e mãe conhece o filho de longe, pois conhece o filho que tem. Se conhecemos o filho de longe imagina Deus? “O pai viu o filho se aproximar, e tomado de compaixão correu ao seu encontro.”
Entrei para o seminário aos 13 anos. Meus pais foram as pessoas que mais me trouxeram dificuldades para que eu pudesse ser padre. Meu pai foi tão pai, que eu queria ser pai para os meus filhos. A mesma saudade que eu tinha de meus pais, eles também a tinham. Imagina a saudade do Pai por nós. ‘Correu-lhe ao encontro, abraçou-o e o cobriu de beijos.’ Ele apertou o filho com força, mas o enchendo de beijos. O discípulo da misericórdia não pode apertar ninguém sobre o passado da vida dos outros. Não conseguimos amar, pois estamos ressentidos. Jesus nunca perguntou sobre o passado de ninguém. Acolher, não significa aceitar o pecado do outro, mas amar. Esta foi a atitude do pai que não o questionou. Como é bom sermos abraçados por Deus! Tive a graça de fazer uma experiência com o Senhor aos 5 anos. Em um hospital vi imagem de Jesus, naquele momento estava próximo ao ouvido do meu pai e ali cochichando disse: “Seu veio, quem é aquele homem no fundo daquela parede?” Ele disse: “Tu não conhece?” Foi o próprio Senhor me falando naquele momento. “Você não faz idéia de quem Ele é?” Foi Ele que deu você para mim. Enquanto muitos pais deveriam levar e seus filhos para Deus, estão o levando para “zona”. Ainda não há a misericórdia na nossa casa, pois não estamos levando o testemunho. Meu pai e minha mãe foram o canal de misericórdia para mim e meus irmãos. Não devemos questionar as pessoas que amamos. Quando o filho começou a falar: Trata-me como a um dos teus empregados’. Seu pai pediu para que matassem um boi. Para ter um boi da qualidade narrado por Lucas, foi por mais de 6 meses tratando do animal. O pai sabia que o filho iria voltar e sabendo não se preocupou com a maneira que chegaria. Para dizer que Deus não nos olha como chegamos, o que importa para Ele é que estamos chegando. O que nos faz perder a confiança em Deus é a concepção como Deus nos olha, a nossa confiança em Deus. Você não é amado pelo que faz, mas pelo que é. Lugar do filho é no colo do Pai. Porque o filho mais velho se encolerizou? ‘Eu trabalho para ti há tantos anos, jamais desobedeci a qualquer ordem tua. E nunca me deste um cabrito para eu festejar com meus amigos.´ Ele não se tornou o canal da misericórdia, mas um trator na vida do outro. Quando eu faço a experiência: Sou amado pelo que sou filho de Deus. Quando o outro faz errado, eu me compadeço. Em Bethânia, certa vez chegou um filho andarilho que não conseguia tirar o calçado dos pés, pois estava inchado devido aos dez dias caminhando. A perna desta pessoa cheirava de carniça, mesmo depois de tomado o banho. E, naquela sala rezando o terço não agüentávamos o cheiro. O odor de Cristo não é fácil, acredito que Jesus estava ali naquele homem. Ele resolveu pedir a herança e assim como filho pródigo. Depois de algum tempo, ele voltou entorpecido com um discurso igual ao filho mais moço disse: “Eu vim aqui para ver se tem alguma vaga. Se não tiver, poderia me arrumar uma comida?” Não poderia deixar ele ir embora. Não tinha vagas, disse: Daqui deste lugar tu não vai levar comida nenhuma, eu pensei em te levar para onde estava, mas não! Porque você vai ficar aqui, é tua casa. Naquele momento o efeito da droga saiu daquele filho. Só toca na misericórdia, quem acredita em Deus. Aquele que foi tocado pela misericórdia com certeza será o canal. Depois de tomado banho, disse: “Vamos dormir?”. Ele me respondeu: “Quero rezar com vocês por esta graça.” Precisamos pedir a graça da libertação da concepção errada ao Senhor. O Senhor não esta ao nosso lado, pois Ele sempre esteve dentro de nós.

 

Seja misericórdia para sua família
Ricardo e Eliana Sá

A festa da misericórdia é o primeiro domingo depois da Páscoa. Esta devoção nasceu na Polônia, terra natal do Papa João Paulo II. O Papa que elevou Santa Faustina aos altares. Jesus quer que celebremos bem a festa da misericórdia, devemos estar com o coração aberto para receber todas as graças que Deus tem para nós e para nossas famílias.
O que mais o demônio tem atacado é as nossas famílias. A sua casa precisa de você, não sei as circunstâncias que sua família está vivendo, problemas com alcoolismo, drogas, relacionamentos com mágoas, ódio. A sua família precisa de você, busque graças para sua família. Diga: “Jesus eu confio em vós.” Deixa Jesus fazer a renovação em sua família. “Senhor eu creio no teu amor, por minha família mando embora toda descrença, para que ela seja renovada.” Não desanime com a salvação dos seus, por pior que seja a situação eles são amados por Jesus misericordioso. “Envolve Senhor as nossas família com o sangue e água que jorram de seu coração.” Deus disse a Santa Faustina: “Ainda que a alma esteja em decomposição – como um cadáver, e ainda que humanamente já não haja possibilidade de restauração e tudo se encontre perdido, as coisas não são assim para Deus. A maravilha da Misericórdia de Deus fará ressurgir a alma para uma vida plena. (D 1448). Tenha esperança, Deus não vê a nossa família como vemos. Proclame: “A minha família é uma benção, é abençoada, é querida por Deus, e o lugar da minha família é o céu!”. Olhe com os olhos do Pai, olhe com esperança para a sua família, ela precisa do olhar de Jesus. Deus tem muito mais para os da sua casa, mais do que você pode imaginar, chega de grito e reclamação dentro do seu lar. O seus precisa de você, seja o canal da graça frente as necessidades. No lugar do desespero a esperança e a oração. Sabe aquelas situação dolorosas que vivemos em nossa família e que já imaginamos a solução, mas Deus tem soluções inexplicáveis, melhores que a nossa, Ele tem o melhor para a nossa família. Muitas vezes você olha para a Deus e diz: o Senhor precisa fazer isto. Deixe Deus ser Deus em sua família e irá se surpreender. Precisamos abrir as portas da misericórdia, por isso abra um sorriso para a sua família. O mais lindo que hoje é o dia da preparação para a festa da misericórdia e o nosso fundador Monsenhor Jonas declarou a Canção Nova como casa da misericórdia. No ano de 2002, Monsenhor Jonas saiu em retiro com o diário da Santa Faustina. Ele disse que a Canção Nova não é a apenas um lugar físico, mas que cada um de nós (membro da Canção Nova) seja a misericórdia de Jesus para o outro. Amanhã é uma data muito importante teremos um momento em que veneramos a imagem de Jesus misericordioso. Ele quer que sua misericórdia chegue as nossas casas. Jesus conta com você para a salvação do seu lar, não maldiga a sua família, mas abençoe. O Senhor tem planos para sua casa, na sua família você tem que ser o primeiro a perdoar, acolher, a ter paciência, misericórdia. Você tem que ter a misericórdia primeiro. Tenha misericórdia entre lagrimas, Deus nuca te decepcionará. Jesus está curando você, deixa Jesus te curar. Jesus tem caminho que só a misericórdia conhece. Uma vez que Jesus não desiste de sua família você também não pode. Pode ser que você não veja mudanças em sua família. No último segundo entre a vida e a morte a misericórdia de Deus pode alcançar sua vida. A Igreja nos convida a esperança dos pecados. As nossas famílias devem ir ao céu. Tudo é um grande mistério não conhecemos o tempo, as horas. Você pode dizer este homem bebeu até a morte, mas não pode dizer que ele foi para o inferno. Pois a misericórdia pode ter lhe alcançado. São os piores da sua família que precisam de misericórdia. Você é o apostolo da divina misericórdia, precisa ser misericordioso com quem está ao seu redor. O inimigo quer que digamos que tudo esta perdido. Mas, Jesus misericordioso nos diz que não está, Ele tem soluções melhores. Confia no Senhor. Quem confia se entrega, se abandona, não se desespera. Não pense quem confia não experimenta a dor, a cruz, mas quem confia é feliz, segue em frente não abandona sua casa, Seu marido, pois confia no Senhor. A sua família precisa conhecer a divina misericórdia através de você. Jesus quer dar a salvação para sua família. Seja instrumento para que a salvação se concretize. Diário de Santa Faustina: 1577- “Diz às almas que não impeçam a entrada da Minha misericórdia nos seus corações, pois Ela deseja tanto agir neles. A Minha misericórdia trabalha em todos os corações que lhe abrem as suas portas. E tanto o pecador como o justo necessitam da Minha Misericórdia. A conversão e a perseverança são uma graça da Minha misericórdia”.

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda