Por que você não pode faltar à Missa dominical?

Naquela tarde de domingo da Páscoa judaica, no terceiro dia da morte de Jesus, os apóstolos se encontravam reunidos a portas trancadas, ainda sob o impacto da crucificação do Mestre e com medo dos judeus, quando Cristo ressuscitado apareceu entre eles dizendo “Paz seja convosco!” e provocando o maior espanto e comoção.

Diante da incredulidade dos Seus melhores seguidores, Ele lhes mostrou as mãos laceradas e o lado ferido pela lança.

Alegraram-se, então, os discípulos ao reconhecer o Senhor e Jesus repetiu “Paz seja convosco”, acrescentando “Assim como o Pai me enviou, eu também vos envio”.

Disse isto, soprou sobre eles e completou: “Recebei o Espírito Santo. Se de alguns perdoardes os pecados, são-lhes perdoados; se lhos retiverdes, serão retidos”.

É justamente essa intensa experiência do reencontro dos apóstolos com Cristo ressuscitado que os cristãos revivem na Missa dominical.

O domingo, que sempre foi um dia especial porque assinala o primeiro dia da criação do mundo, para os cristãos tem esse valor especial: marca o dia em que, ressuscitando, Jesus deu a prova mais perfeita de Sua missão divina, principal fato sobre o qual se apóia a fé cristã.

Celebrar um acontecimento tão importante só uma vez por ano, na Páscoa, seria muito pouco. Por isso a Igreja celebra todos os domingos a vitória de Cristo sobre o pecado e sobre a morte. Em verdade, a vida da Igreja se centra na celebração dominical da Páscoa e da Eucaristia do Senhor.

A Igreja não é uma entidade separada dos fiéis, na verdade a Igreja são os fiéis (igreja vem do grego “ekklesía”, que quer dizer “assembléia, reunião de pessoas”). Então, a Igreja somos nós todos reunidos, e este foi o desejo de Cristo quando a criou: Ele queria que fortalecêssemos a nossa fé reunidos em assembléia.

Resumindo: é certo que é muito importante para a nossa vida de fé que nos reunamos aos outros irmãos em qualquer dia da semana para, juntos, celebrar a Páscoa do Senhor no sacramento da Nova Aliança.

Mas essa mesma celebração aos domingos tem um sentido maior, porque comemora mais uma semana da ressurreição de Cristo que aconteceu naquele outro domingo da Páscoa judaica.

Cristo recebe a sua presença nas Missas dominicais como uma homenagem que O agrada especialmente.

Só falte por um motivo grave.

Dom João Bosco Óliver de Faria

Nenhum comentário ainda

Comentários desativados

Desenvolvido por Origy Networks – Criação de sites e propaganda